Notícias


23/10/2014

José Carlos Peres oficializa candidatura em evento na Capital

    Entre conselheiros, sócios, torcedores e dos membros da diretoria da ONG Santos Vivo, instituição que criou em 2001, Peres, que atualmente é diretor-executivo da G4 Aliança Paulista, expôs sua plataforma de governo para o triênio 2015/2016/2017. Entre as prioridades defendidas estão: o fim da reeleição (por meio de alteração estatutária); retorno do sistema presidencialista de fato, em que o presidente e seu vice exercerão de forma plena a função executiva no clube; eliminação da cláusula de barreira de 20% dos votos válidos para a composição do Conselho Deliberativo, passando a valer o princípio da proporcionalidade absoluta nessa casa; vedação a todos os conselheiros de manter negócio particular com o clube.
    
    “A situação financeira do Santos é uma caixa preta. Mas temos condições de administrar esse clube com competência e colocá-lo no lugar de destaque que ele merece, com muito profissionalismo e seriedade”, disse Peres.
    
    O representante da Santos Vivo defende a tese de que é condição essencial restabelecer a confiança do sócio e do torcedor, para que ele participe ativamente da vida do clube. Para isso, a chapa defende um planejamento eficiente e de competência específica para implementá-lo.
   
    Para Peres, o clube precisa se abrir para as melhores ideias, venham de onde vierem, e trabalhar para realizá-las. Nessa luta pela recuperação, a Santos Vivo estará aberta para todo santista que quiser se envolver, sem discriminações. Além disso, defende que o clube possa utilizar os estádios do Pacaembu e da Vila Belmiro alternadamente, para que o clube captalize o potencial de torcida que tem tanto em sua cidade quanto na Capital. "Vamos sim utilizar o Pacaembu, mas bem estruturado, com boa oferta de serviços para o torcedor que for assistir aos jogos", explicou o candidato, que ainda destacou a construção de uma arena para o Santos como uma das metas de sua campanha.